16.10.07

guernica

Ah, se eu pudesse começava tudo de novo e mais uma vez. Porque não teve um só dia em que tenha me perguntado: por quê?
meu plano sequência tem um fado da Amália cantado por uma camarera alentejana, um poema do Pessoa em um café, sangrias em plazas reales, hablar con un pan en la boca, uma bailarina de flamenco, uma plaza de toros, obras pilhadas expostas em museus, uma mesquita com santos católicos, um palácio árabe nazarie, bicicletas noturnas en calles catalanas, bonecos gigantes na Mercê, bares no Raval, tapas e copas, litros de pivo, garganta queimando de absinto, sinagogas, igrejas, jazz clubs, uma ponte mágica, rio, nuit blanche com poema em língua desconhecida, vinho barato, gentes de todos lugares.
Porque não teve um só dia...em que não tenha crescido mais um pouquinho.


"Ya no quiero vivir con los temores
que prefiero entregarme a la ilusión
y lo que creo, defenderlo con firmeza,
sin historias que me abulten el colchón

Y si un día me siento transformado
y decido reorientar la dirección,
tomare un nuevo rumbo sin prejuicios
porque en el cambio esta la evolución

Evolucion, en el cambio esta la evolución

Que mi camino se encuentre iluminado
y la negrura no enturbie el corazón
discernimiento al escoger entre los frutos,
decision para subir otro escalón
Vivir el presente hacia el futuro
guardar el pasado en el arcón,
trabajar por el cambio de conciencia,
dibujar en el aire una canción"


Dibujo en el aire, Chambao

2 Comments:

Blogger Júnio said...

Ainda espero todos dias pelas notícias suas!
Que esteas bem, descansada e seguro e feliz. Tua felicidade é minha tambem.Amo-te, Ana.

17/10/07 22:22  
Blogger Alê said...

Ana, nao acredito que vc conheceu Chambao! Eh muito bom!

18/9/08 13:21  

Publicar un comentario

Links to this post:

Crear un vínculo

<< Home