13.4.07

Dude (looks like a lady)


Eu passei o dia babando e rindo feito uma hiena louca, de tanto sono. Nem um litro de café salvou o meu dia, com produtividade perto do zero. Mas o cansaço da sexta 13 valeu cada minuto. Porque na virada desse dia eu estava gritando e pulando e ficando sem voz no show do Aerosmith. Primeiro showzão de rock tiozinho do ano.
E mais uma vez eu comprovei minha teoria de que show de rock é quase insuperável. Quase porque, para mim, fica no mesmo grau de êxtase que show de jazz.
Mas não é qualquer show de rock. É do rock velha-guarda, dos cabeludos com guitarras virtuosas e performance de franga no palco. Porque show de banda de rock moderninha, indie, não chega aos pés do rock cinquentão. Não que eu não adore e não vá – quem me conhece sabe que estou mais para Pixies que para Roger Waters – mas esses caras que fizeram escola com o Led Zeppelin são infinitamente superiores no palco. É a atitude “quebra tudo” que faz a diferença, sem aquele ar blasé e deprimido com o mundo. É a performance com dois quilos de make-up e cabelos longos esvoaçantes, com calças jeans justinhas e muita gritaria que eu considero rock n´roll. É para lavar a alma, literalmente.
Isso porque o Aerosmith não tocou clássicos como Amazing e Deuces are Wild. Mas o Tyler impressionou com o vocal absurdo, cantando quase duas horas sem parar. Eu, que acompanhei até onde pude, estou sem voz. E o cara tem o dobro da minha idade! Sem falar da guitarra do Joe Perry e da canja de blues que deram no show.
E eu fiquei feliz também de ver o Velvet Revolver. Podem falar que é uma porcaria, eu me esbaldei ao ver o Slash apavorando na guitarra com sua cartola, cabeleira e cigarrinho na boca. Melhor ainda quando tocaram Mr Browstone, uma de minhas favoritas do Guns.

Depois de ver os tiozinhos com barriga tanquinho e saltitando sem parar no palco, cheguei à uma conclusão: heroína e cocaína injetáveis mantêm o indivíduo em forma. O segredo da juventude está em se drogar até o limite. Mas drogas pesadas, please. Nada de cachacinha e maconha. Você se acaba na mr. Brown até que decide parar com tudo, vira vegetariano e começa a praticar esportes enlouquecidamente. E vive 100 anos. Repare: Iggy Pop, Lou Reed, Mick Jagger, Steve Tyler. Todos os shows que vi desses caras foram alucinantes, eles com o dobro da minha energia, corpinhos sarados e fazendo muito rock n´roll! E todos seguiram esse receita.
Agora repare nos maconheiros do reggae com 60 anos: todos acabados. E os cachaceiros, como Raul e Janis Joplin, esses não duraram muito. Mas precisa saber a hora de parar, porque senão fica que nem o tio Ozzy, babando e fazendo sitcom na MTV.
O único caso não explicado é o Keith Richards, mas ele é filho do Drácula, imortal.

0 Comments:

Publicar un comentario

Links to this post:

Crear un vínculo

<< Home