12.5.09

descomplica

Abandono da captura

Sem culpa ou com alguma

Luz nunca é exata

Quando diante do sol

Os fotogramas queimam

Ou deixam sombras


O fato é que as fotografias às vezes saem meio borradas.


Quase tudo cabe ser dito

Quase nada vale a pena ser dito

Interdito

A palavra que explode

Sem que eu tenha tempo de pensar

E daí, já foi. Disse.


De violão e Leminski e outros literatos e rostos e nomes e rios e fome e música e acontecimentos imprevistos (porque a maioria deles é sempre imprevista e improvável) deixo de lado os espaços antes meus para dar lugar a novos intervalos de imprevistos acontecimentos e já nem lembro direito porque um dia eu comecei isso aqui e para quê. Mas isso, isso de eu esquecer minhas calças, acontece sempre.

“É preciso um tempo maior de silêncio para fazer uma crítica”.

Etiquetas: ,

2 Comments:

Blogger Julien De Lucca said...

Antes novas fotografias borradas que zebras passadas. Mesmo que fotos em P&B sejam do caralho.

9/6/09 20:25  
Blogger Ricardo Raele said...

mon biju, vc sabe o quanto de adoro...
Que bom matar saudades... ahi!

Bjos linda e passa no meu brog pra gente se ver.

Bom sao 3 da matina e eu tô bebaço de uísque... do bom...
Todos os lugares, as ondas dos mares...
te cuida.

5/7/09 02:57  

Publicar un comentario

Links to this post:

Crear un vínculo

<< Home